** Oração das Fadas **

Espírito de sabedoria, cujo sopro dá e retorna a forma de todas as coisas; tu, diante de quem a vida dos seres

é uma sombra que muda e um vapor que passa; tu que sobes às nuvens e que caminhas nas asas dos ventos; tu que expiras, e os espaços sem fim são povoados; tu, que aspiras, e tudo o que de ti vem a ti volta:

movimento sem fim na estabilidade eterna, sê eternamente bendito.

Nós te louvamos e te bendizemos no império móvel da luz criada, das sombras, dos reflexos e das imagens, e aspiramos incessantemente à tua imutável e imperecível claridade.

Deixa penetrar até nós o raio da tua inteligência e o calor do teu amor: então o que é móvel ficará fixo, a sombra será um corpo, o espírito do ar será uma alma, o sonho será um pensamento.

E nós não seremos mais arrastados pela tempestade, porém seguraremos as rédeas dos cavalos alados da manhã e dirigiremos o curso dos ventos da tarde, para voarmos diante de ti.

Oh espírito dos espíritos, Oh alma eterna das almas, Oh sopro imperecível de vida, Oh suspiro criador, Oh boca que aspiras e expiras a existência de todos os entes, no fluxo e refluxo da tua eterna palavra, que é o oceano divino do movimento da verdade..

** Sobre as Fadas **

O nome em inglês das fadas "faeries" ou "fairyes", provavelmente é uma combinação de "fae", vinda da palavra "friend" (amigo, em inglês) e "eire", vinda de "green" (verde) significando, "Amigo Verde (Green Friend).

As primeiras histórias de fadas mostram que elas eram, de início, as personagens que levavam presentes aos recém-nascidos. Fadas podem ser vistas claramente apenas por animais e raramente por humanos, e se alguém tiver essa sorte, poderá, ao menos, ter visto rapidamente uma fada.

Mas há algumas poucas exceções, entretanto. A primeira delas é quando a fada usa uma técnica mágica, o glamour, para mudar a sua aparência física e assim, poder se mostrar aos humanos.

A segunda chance é de vê-las dançando e cantando num ritual que acontece no Verão, no dia em que o Sol está no ponto mais alto do céu.

A terceira chance de se ver uma fada através de uma pedra que tenha sido furada ao meio pela força da água.

O reino das fadas é comandado pela Rainha Titania e seu consorte Príncipe Oberon. O Folclore gaélico dá muita importância às fadas, tanto nas lendas, como nas músicas.

A crença nas fadas invadiu também as lendas celtas. Na Escócia, houve um famoso incidente, em que três mortais, Thomas the Rymer, Tam Lim e o padre Robert Kirk, autor do livro O segredo do povo dos Elfos, Faunos e Fadas, foram levados à Terra das Fadas.

Existem algumas hipóteses sobre a origem das fadas: Que elas tenham sido formadoras de uma raça, de estatura menor que a dos humanos e que moravam abaixo da superfície;

Alguns dizem que elas são Anjos Caídos, que foram expulsas do céu, após se negarem a cumprir uma ordem; As fadas também são vistas como espíritos dos ancestrais; São consideradas também Deuses Antigos, que diminuíram em estatura por não aceitarem a Igreja Católica.

Mas as fadas fazem parte do imaginário popular graças aos contos e histórias de autores como os irmãos Grimm. Nestas histórias, elas têm papel decisivo, muitas vezes auxiliando o protagonista ou lhe concedendo uma graça que ele jamais poderia alcançar por si.

** Meu Nome de Fada**

Meu nome de fada é Fire Icewitch Ela é portadora de arrepiar os ossos da justiça para os mais vulneráveis. Ela mora em fireflies mate e raça. Ela só é vista no momento encantado entre o sono e a vigília. Seu brilho se veste com as cores de fogo. Ela tem asas de borboleta azul gelado. Get your free fairy name here!

**Descubra seu nome de Fada**

** Salamandras ou fadas de fogo **

As salamandras despertam poderosas correntes emocionais no homem. Alimentam os fogos do idealismo espiritual e da percepção. Sua energia auxiliar a demolição do que é velho e a edificação do novo.

Isto porque o fogo tanto pode ser destrutivo quanto criativo em suas formas de expressão. Os elementais do fogo trabalham com o homem e com o mundo por intermédio do calor, do fogo e das chamas, quer se trate da chama de uma vela, das chamas etéreas ou da própria luz solar. São incrivelmente eficientes nos trabalhos de cura, pois ajudam a desintoxicar o organismo, sobretudo nas situações críticas. Mas devem ser empregadas com muita cautela, pois suas energias radiantes são dificílimas de controlar. De modo geral, encontram-se sempre presentes quando a cura está para se manifestar.

Os elementais do fogo colaboram imensamente para a preservação de nosso corpo espiritual. A energia irradiada pelas salamandras ao nosso corpo espiritual perpassa todos os planos até atingir o corpo físico. Elas intensificam a espiritualidade elevada, a fé e o entusiasmo. Colorem nossa percepção e ampliam o discernimento espiritual para que ele sobrepuje o psiquismo inferior.

Uma salamandra foi designada para acompanhar cada um de nós ao longo dessa existência. Ela contribui para o bom funcionamento do corpo físico, a manutenção da temperatura corporal adequada, estimula o metabolismo orgânico para a continuidade da boa saúde e auxiliar a circulação. O metabolismo lento é indício de uma atividade relaxada das salamandras. Já o metabolismo acelerado pressupõe uma atividade exacerbada dos seres e espíritos do fogo. Uma boa conexão e relacionamento com nossa salamandra pessoal estimula a vitalidade e a franqueza. Elas nos ajudam a desenvolver vontade própria e firmeza, além de impulsionar fortes correntes espirituais positivas e bem-determinadas. Fomentam o sentido de auto- estima, mantêm as aspirações em alta e nos impulsionam a uma atuação marcante no cenário da vida.

A fraca ligação com nosso elemental pessoal e demais espíritos do fogo configura-se como falta de ânimo, esmorecimento em relação à vida, falta de fé e crescente senso de pessimismo. Por outro lado, a proximidade demasiado intensa com estes elementais e outros do reino pode acarretar falta de autocontrole e de sensibilidade. Haverá tendência à irrequietude e a um excesso de atividade que pode levar a um desgaste do ser. A falta de paciência também é reflexo da influência excessiva desse elemento.

De todos os elementais, as salamandras são os mais difíceis de compreender e aqueles com os quais a harmonização é mais complexa. A melhor forma de controlá-los é agir serenamente. Podemos controlar nosso fogo interior por meio da calma e de uma postura tranqüila e satisfeita em relação à vida. Em outros termos, significa aceitar a existência como ela é, aqui e agora.

Além de serem agentes primordiais da natureza, as salamandras adoram a música e sentem-se fortemente atraídas por ela, sobretudo quando está sendo composta. Suas energias são vibrantes. Controlá-las e direcioná-las de modo a produzir resultados positivos requer tamanha habilidade. Recomenda-se a todo compositor, poeta ou qualquer um que exerça atividade criativa, que procure cultivar uma melhor sintonia com as salamandras.

Nossas salamandras pessoais nos auxiliam a compreender os mistérios do fogo. Ajudam a despertar os níveis mais elevados de nossa espiritualidade e a elevar o patamar de nossas aspirações. De forma geral, estimulam e fortalecem o campo áurico a tal ponto que facilitam o reconhecimento das forças espirituais atuantes em nossas vidas e o contacto com elas.

Com o nome "Salamandra" se conhece as Fadas do Fogo, pois essa é a forma como se apresentam. Entre todas as fadas são as mais respeitadas e as mais antigas. Conta-se que as salamandras estavam presentes na origem do universo e já eram respeitadas pelos deuses. Quando Prometeu, o titã da mitologia grega encarregado junto com Epimeteu de criar a humanidade, entregou aos homens como dom o fogo, foi castigado duramente por Zeus. A ira tão desproporcional de Zeus se justifica porque, junto com o fogo, Prometeu estava entregando a fonte de poder e de domínio, a sabedoria.

As Fadas do Fogo se manifestam em cada fogo que se acende, em cada pequena chama. Podem apresentar-se de duas maneiras, em forma de chama, ou em forma de salamandra, de lagartixa e podem adotar qualquer tamanho, desde pequenas chamas até fogos que arrasam a árvore mais alta do bosque. Não é de estranhar que as fadas tenham escolhido a salamandra para ser sua forma animal, pois o movimento desta muito se assemelha a forma de uma chama. O animal salamandra, quando colocado perto de uma fonte de calor, segrega um líquido que lhe permite durante algum tempo suportar altas temperaturas.

As relações entre as salamandras e o homem não tem sido muito satisfatórias, pois essas, conscientes de seu poder, se mostram inacessíveis ao contato humano. Quando se sentem importunadas ou julgam que o homem está interferindo em negócios que não lhe dizem respeito, os castigam com queimaduras ou incêndios.

Há quem diga que as salamandras têm contato com o mundo além túmulo, o que daria sentido ao feito de se acender velas para os mortos. Para os vivos as salamandras concedem sabedoria e força de espírito, enquanto são poucos os mortais que podem presumir que as fadas do fogo lhes deram estes presentes. Para invocá-las, basta acender um fogo ou uma pequena vela e pronunciar uma oração de boas vindas.

As Fadas do Fogo também podem apresentar-se com a forma humana com asas longas, estreitas e transparentes e medem cerca de 3 milímetros de altura. Elas são encontradas em torno de fogueiras, vulcões, mananciais de água quente e borbulhante. Elas vivem em grupos em torno de cem e fazem todas as coisas de forma conjunta. Obtêm seu sustento dos gases e vapores que saem dos fogos e dos lugares quentes, e se pode vê-las em grupos sobre as chamas, dançando e cantando enquanto se alimentam dos eflúvios metafísicos do fogo.

Essas fadas também são conhecidas por "Chama do Mago" e "Guardiões do Sul". Trabalhar com a salamandra te ajudará a desenvolver e fortalecer teu lado intuitivo.



» Voltar para página principal